segunda-feira, 24 de maio de 2010

A realidade dói

Sempre digo pra minha terapeuta (sim, eu faço terapia), que tenho problema em resolver as coisinhas práticas do dia a dia: pagar contas, chamar o encanador, dar ordens, esse tipo de coisa. De questões burocráticas eu pego distância. Tudo é muito difícil pra mim. Na maioria das vezes, eu sei que a missão nem é tão árdua, mas sofro por antecipação, achando (na verdade é tendo certeza), que eu não vou conseguir. E sofro várias vezes: por ter que fazer, por achar que eu não vou conseguir e quando eu consigo fazer e que dá tudo certo, sofro por ter conseguido.
Esse fim de semana li a entrevista do Marco Nanini na Playboy da Maroca e ele disse que tem problemas com a realidade. Que o negócio dele é atuar, esse papo de ir negociar com a emissora não é com ele, que ele foge disso como o diabo da cruz, que ainda bem que existe agente. E eu acho que ele resumiu a questão muito bem: problema com a realidade. Eu tbm tenho problema com a realidade, e tenho um problema maior ainda que é não ter agente pra resolver nada por mim.
E eu fico pensando qtas coisas tenho direito e perco ou deixo de terpor causa dessa limitação; descontos, vantagens, só pelo medo de ir falar com a pessoa que resolve e ela dizer um "não" bem redondo. É difícil isso. Viver com essa sensação.
Olha o que aconteceu hoje: minha mãe qdo viva tinha um negócio chamado Bancorbras. Pra quem não sabe é um título de turismo, vc paga o ano inteiro e tem direito a sete diárias por ano. A vantagem é não ter que desembolsar mais grana durante as férias, qdo vc já tá pagando passagem, alimentação, etc. Qdo minha mãe morreu, os três títulos ficaram no nome do meu padrasto e eu usava qdo queria, mas nem uso muito.
De uns tempos pra cá, a Bancorbras limitou o uso para pessoas não dependentes em alta temporada e é justamente na alta temporada que vou tirar minhas férias e eu não sou filha de verdade, então tinha medo que fosse negado o pedido da única diária que ia pedir. Medo. Medo. Fiquei semanas com medo de pedir e que fosse negado. Até que hoje tomei coragem e liguei e a ligação durou dois minutos e deu tudo certo! E nem doeu! Incrível isso, né? E to aqui com ódio de mim mesma de ter enrolado tanto.
A verdade é que eu preciso ter mais fé. e acreditar mais em mim. Mais um trabalho pra minha super terapeuta!

Um comentário:

Sra. Mari disse...

é .. eu tbem sofro por antecipação.
As vezes resolvo o que eu fiquei 1 mes enrolando em 1 minuto e quase morro de raiva de mim.

Te entendo muito bem ...

bjo