terça-feira, 30 de dezembro de 2008

Saudade

Susan Sarandon e Julia Roberts produziram e estrelaram esse filme aí do lado, que em português ganhou o nome de Lado a Lado. Na história, a Susan é uma mão divorciada e o ex-marido é namorado da Julia (bela troca, hein?). A ex é uma mãe insuportavelmente perfeita e os filhos não curtem muito a figura da namorada do pai, que é bastante esforçada, coitadinha. Mas a mãe descobre que vai morrer de câncer, e meio que prepara a madrasta pro encargo, depois de sofrer muito com isso.


Ontem eu fui fazer o teste do penteado na Márcia Galvão, "hair designer" a única pessoa em quem confio pra me arrumar pro grande dia. Vai ficar lindo. Vamos usar flores naturais e ela inventou lá na hora de colocar uma fita do mesmo tecido do vestido com um arame no meio pra dar uma incrementada. Ficou lindo.


Metade das mulheres que estavam no salão vieram e ficaram atrás de mim pra ver meu cabelo e comentar que estava lindo! E estava mesmo, modéstia a parte. Mas nessa hora, só me veio a cabeça a imagem da minha mãe. Eu ainda não tinha me permitido sentir falta dela nesse processo todo, acho que eu tinha ocupado a minha mente muito bem. Só que ontem eu pensei no que ela estaria pensando, sentindo, o que ela acharia do meu cabelo., e do meu vestido também...


A memória da minha mãe é sempre mto presente no meu dia a dia, o que eu não acho saudável, mas é uma coisa mais forte que eu (eu tento melhorar nesse aspecto). Eu sempre penso como e o que ela faria em cada situação pra fazer igual. Só ontem que me toquei que eu precisava dela aqui e agora. Acreditem, mãe nesse processo é essencial.


Pra completar qdo eu cheguei em casa tava passando esse filme de que falei aí em cima. Assisti sabendo do que se tratava, mas fui levada pela saudade e assisti até o fim. A mãe era fantástica que nem a minha, morreria da mesma doença da minha mãe e no fim do filme, eu me acabei de chorar. Fazia tempo que não chorava tanto. Liguei pro Leo que veio logo pra cá e liguei pro meu pai que pediu que eu me controlasse pra não fazer mal ao espírito dela (somos espíritas). João Lucas, tadinho, se assustou com a mãe chorando e foi pro quarto dele brincar quietinho.


Vou despedir mais este ano com saudades da minha mãe.


beijos e feliz 2009! Que seja de sucesso para todos!






7 comentários:

Muriele Binow disse...

Sentir saudades faz parte desse processo doloroso, mais ela está em um lugar melhor do que a gente, bjokas!

Karla disse...

Olá achei seu blog no bloguinho de outras meninas e queria te add posso? Eu te entendo pq tb perdi minha mãe e sou filha única e tb não tenho pai pq faleceu tb.Me casei em setembro e posso te dizer que casa detalhe q eu escolhia eu chorava pela falta dela, eramos unha e carne e Deus a levou de mim e como tb somos espiritas meu marido tb dizia que eu n podia chorar mas a dor quem sentia era eu.
Sei que onde elas estão enviam luz pra nós e estão perto embora não podemos ve-la mas sentimos sua presença. Gostei do seu blog e gostaria q vc visitasse o meu, vou te enviar meu email pq meu blog é bloqueado e se vc quiser papear comigo o meu email é lindinhaelico@hotmail.com ai vc pede a senha q eu te dou ok?

Um grande beijo e feliz 2009 cheio de amor, paz, união

Bjs

Karla

Any disse...

Com certeza ela está te olhando de algum lugar, e se orgulhando de vc!!! Um 2009 iluminado!

ઇ‍ઉ Preto e Kaju ઇ‍ઉ disse...

Tem uma musica que diz:
Se fosse só sentir saudades mas tem sempre algo mais, vai ver que é assim mesmo e vai ser assim pra sempre.


SABE PORQUE???
POIS FOI DEUS QUE ESCOLHEU SUA MÃE PARA SER SEU ANJO, E ENTÃO, SETIRÁ SEMPRE SAUDADE DELA POIS NÃO PODE VE-LA E APEAS SENTI-LA.
BEIJOSS FILHOTE

Narda Rafaela disse...

Paola,
Eu imagino a falta que a tua mãe faz.
Acho que os pais, de uma maneira geral, são muito importantes, cada um à sua maneira, nesse processo todo do casamento.
A mãe faz falta por questões óbvias para nós, noivas: dar pitaco nas coisas, acompanhar pro lado e pro outro, aconselhar, dar opinião (nessas horas, tão importante).
O pai (no meu caso) faz falta na hora de escolher um uísque, de levar pros lugares, de dar pitaco nas músicas e, claro, na hora de subir ao altar.
Acho que a presença dos dois é essencial.
Nós duas, infelizmente, teremos a ausência de um (você, da mãe e eu, do pai) no nosso grande dia. Mas acho que é mais reconfortante pensar que eles estão abençoando nossa união e que estarão, sim, presentes nesse dia (assim como em todos os outros da nossas vidas).
Não te limita as tuas lembranças... acho que é bom manter o espírito dela vivo na tua mente e no teu coração!
Um grande beijo!

Narda Rafaela disse...

Outra coisa que esqueci de comentar: tens o sorriso da tua mãe! :)

tatyanegarcia disse...

Amiga, li esse seu post duas vezes e nas duas comecei a chorar de tão emocionada que fiquei...

beijos, amiga, vc é linda!