domingo, 2 de novembro de 2008

Grande Dudu!

Dando uma pausa no assunto casamento (já disse que isso não pode me dominar), fomos ontem a uma festa. Era a comemoração de 5 anos do Dançum Se Rasgum. Foi na Mystical, uma boite meio "alternativa" daqui. Tinha show do Montage, uma banda cearense e discotecagem dos djs da Se Rasgum. E foi muuuuito bom.
A Dançum Se Rasgum é formada por um grupo de amigos (alguns meus amigos e do Leo) que promove festas nas quais se ouve rock de boa qualidade. As festas eram inicialmente no Café com Arte, um bar daqui, que é uma casa antiga, mas já passaram por vários lugares e eles já fizeram três festivais de rock alternativo trazendo bandas de fora, sendo que o último foi considerado pelo O Globo como sendo, provavelmente, o melhor festival de rock do Brasil neste ano. Destaque para a festa de Carnaval deles, a "Doente do pé", que a galera vai fantasiada meeesmo e eles contratam uma bandinha de rua (tem um nome pra ela, mas eu não lembro agora).
Desde que comecei a frequentar, isso tem uns três anos, "me encontrei" nas festas pq eu não aguentava mais ir pros mesmos lugares e ouvir as mesmas músicas. E, além disso, sou roqueira de nascença. Não pareço roqueira (pareço uma patty que gosta de Jota Quest), não toco nenhum instrumento, mas é só o que eu gosto de ouvir. E sendo ontem a festa de 5 anos eu não podia faltar.
O show do Montage foi médio. A banda tem dois integrantes, um fica no som, e o vocalista. O vocalista é uma figura, um show-man. Um viadaço, magérrimo, lourésimo, que tem uma performance "abusada", insinuante e, aos poucos, no palco vai fazendo um strip-tease. Mas o som tava horrível, eu não conseguia entender o que ele cantava, então não consegui saber se a música era boa, e a performance, depois de meia hora, me cansou. Mas vale pela postura transgressora rock and roll.
Mas o grande destaque da noite foi pro meu amigo Dudu Feijó. Que tbm não parece roqueiro (cadê a postura transgressora?), mas o é até o último fio de cabelo. Mas é isso mesmo, vamos dizer não aos estigmas. É marido da minha grande-amiga-grande-artista Ju e pai do Caio, Caíto para os íntimos que é o menino mais musical do mundo. Ele dá um show na bateria!
Ele qdo está de dj só toca rock da década de 80, na minha opinião a melhor, a que eu mais me identifico. E ontem ele estava inspiradíssimo!! Nunca vi uma seleção tão boa. Eu ouvia e queria estar anotando tudo pra gravar um cd depois. Eu ficava dançando e tentando gravar as músicas que eu não tinha pra baixar depois. Claro que depois de uma longa noite de sono eu esqueci, uma pena.
Voltando ao assunto casamento, na hora lá que eu tava pirando o cabeção, pensei que queria aquela seleção musical pro casório. Sei que não dá. Conto nos dedos os amigos que iam curtir como eu as músicas que estavam tocando lá. O próprio Dudu me desestimulou a fazer isso numa conversa anterior, pq eu tinha que agradar a todos os públicos. Tá, concordei, mas o público de pagode vai sair frustrado pq pagode não toca no meu casamento (roqueiro não tolera pagode). Mas quem sabe no finzinho da festa...

2 comentários:

Noiva Mari disse...

Ahhh nao gosto de pagode nao ... mas acho que tem que ter de tudo um pouco ne ??? Fazer o que ??

Boa semana

bjo

centraldasnoivas disse...

Flor,

Estou precisando da sua ajuda. Passa lá no meu blog que tem maiores explicações!!!
Preciso que você me ajude a fazer barulho.

Beijokass,

Livia