segunda-feira, 21 de março de 2011

O papo é o seguinte

Eu não gosto de Bruno e Marrone. Eu não gosto de Luan Santana. Eu não gosto de Victor e Leo. Nem de Maria Cecilia e Rodolfo, nem de Fernando e Sorocaba. Tbm não gosto de Sorriso Maroto, Jeito Moleque, Belo, Revelação. Simplesmente não gosto, to na contramão de todo mundo, eu sei. Mas consigo conviver com isso. E não pensem que eu sei o nome dessas bandas, cantores ou duplas, não sei, tive que pesquisar nos mais ouvidos do Terra.
Tem músicas que a gente não gosta e só não põe pra ouvir no dia a dia. Mas se toca numa festa ou num bar, atura. Isso acontece comigo por exemplo com Rihanna, Black Eyes Peas, Beyoncé, Shakira. Eu não morro de amores, mas se tocar numa festa eu me divirto, e as vezes até se tocar na rádio, eu canto. Eu reconheço o talento, apenas não me identifico com o estilo.
Nunca gostei de nada mto massificado. O que toca em rádio, no Faustão e em 90% dos bares da cidade com certeza não é o que eu escuto em casa.
Mas tem coisas que não dá. Que me irritam. Pagode é uma delas. O gozado é que eu gosto de samba. Samba de raiz eu gosto. Mas ver aquele monte de homem mareando de um lado pro outro, não engulo. Sertanejo - se é que isso que eu mencionei no primeiro parágrafo pode ser chamado assim, meu conceito de sertanejo era outro - tbm não dá. Forró e brega quase nunca.
Aos poucos, fui chegando a conclusão que não gosto de música que não tenha percussão evidente. Um tio meu, há um tempo me questionou sobre isso, ele é super musical e percebeu minha predileção por batuques, batidas e afins. Sendo som de curta sustentação, tá valendo.
Eu não sou eclética e alguém pode me chamar de limitada. Ok, posso ser. Não me bato com isso e, nesse caso, não me esforço pra ser diferente. Demorei pra entender do que gosto e o que me faz feliz e assim continuarei indo. Caminhando e cantando, rá!
Mas eu vim aqui contar que mesmo assim, sou capaz de conviver com tudo isso. E, melhor, com todos. Do que eu gosto e do que eu não gosto, deixo bem claro, não escondo de ngm. Não me convidem prum pagode, que eu não chamo pra ir ver Pink Floyd Cover e assim seremos todos muito felizes.
Não quero ser preconceituosa. Não quero dizer que o que eu gosto é melhor e mais bonito, apesar de que é exatamente isso que a gente faz quando assume uma posição: discriminar, fazer distinção. Mas na verdade, tudo isso é apenas uma apologia a diversidade.

8 comentários:

Mari disse...

Eu gosto de todos os estilos que descreveu, mas concordo que tudo tem seu momento e a sua hora. Gosto desde a moda de viola raiz, passando por sertanejo, mpb, musica romantica, pop, rock e musica classica. Amo Pink Floyd tbem, acho que nao se encaixa em nenhum desses rotulos de generos. Pink Floyd é Pink Floyd, assim como Beatles tbem nao se encaixa em qualquer lugar.
Nossa, sou bem doida ne ? rsss Não sei, mas a minha musica preferida pra escutar e pra me acalmar é o concerto n 21 para piano do mozart ! rsss
Tá parei !

Cynthia Barreto disse...

Antes de tudo... Vi que vc ajeitou o lay, te adicionei no msn. Se ainda precisar de ajuda é só falar!

Eu tb sou chata pra música, pagode, funk, sertanejo...eca! Mas amooo axé, sou micareteira nata, mas nem por isso me irrito em algum lugar, tirando o funk, o resto engulo bem!

Beijos!

sheyla disse...

Eu sou eclética! Vou do Pink Floyd a Victor e leo sem problemas. É lógico que consigo diferenciar uma música boa, de uma mais ou menos ou de uma horrível, mas gosto de muita coisa. Meus cantores/bandas favoritas vão de queen, passam por barão vermelho e chegam ao pinduca! Sem esquecer Reginaldo Rossi! Rsss. Odeio Funk e, pagode é difícil de aguentar...Mas o que não tolero mesmo são músicas de baixo nível. Coisas agressivas e que acabam com as mulheres eu passo longe. ..

Luciana disse...

Paola, eu vivo perdendo seu link... rsss e fico tão feliz quando eu acho! Rsss Agora eu decorei o endereço do blog! Bem, tirei o atraso, e adorei o lay novo... suas tulipas estão tudo de bom! Em em relação as músicas, dependendo do momento, escuto de tudo, só não me venha com funk, quebradeira que não dá mesmo, rsss Beijo

Luciana disse...

Menina, tinha escrito um monte e não sei se publicou, agora, vou resumir: Amei o lay novo com a tulipas! E, dependendo do momento, escuto de tudo menos funk, quebradeira, essas coisa não dá... ah, reggae também complica, beijo!

sheyla disse...

Paola,
Lembrei de vc. Tem um blog chamado Blog da Nina. Quem escreve é a mãe da Nina, a Tina, que tem um blog bacana que é o Pergunte ao Pixel. Vá ao blog da Nina e veja o clipe do Bohemian Rhapsody com os Muppets. Ficou bacana. Tem no youtube tb. Não precisa publicar esse comentário. bjs, Sheyla

Anninha disse...

Concordo com tudo o que vc escreveu (se bem que adoro a Rihanna)
Eu gostava de sertanejo (Xitão e xororó, Zezé e Luciano) mas depois que explodiu (não, infelizmente não explodiu literalmente) o sertanejo - dito - universitário, eu tenho passado momentos de puro pavor. Eu não consigo escutar Victor e Léo sem precisar sair de onde vem o som. Eu sei, parece extremo, mas eu tenho verdadeiro pavor daqueles caras. Aqui no trabalho já disse: Quem ouvir Victor e Léo vai ter que aguentar Marilyn Manson (e isso que eu nem curto muito o cara). Eu não fico ouvindo minhas músicas em volume alto pra não irritar ninguém, é muito exigir o mesmo dos outros?
(ui, que raivosa eu pareço hahahaha)

Beijos!

Janinha disse...

Antes de mais nada: viva a diversidade! Mas cada um tem seu gosto. Eu VIA de regra não gosto desses mesmo ritmos q vc indicou + funk atual + calipso. Mas o que me leva a gostar ou não não é o ritmo - na maioria dos casos - é a letra. Letra de cortar os pulsos não eras, vulgar tb não, brega demais tb não. E de todos q vc citou eu gosto de Victor e Léo, pq as letras são muito bem escritas, não sofrem à toa (kkkk) e são muito melodiosos. E tem uma coisa... acho que tenho espírito de velha (KKKK2) pq pra mim, sempre acho que "no meu tempo de guria" o pagode era melhor, bem como o sertanejo, axé, funk... ashuahsuahsua. Imagina quando ficar velha mesmo? Credo! Bjocas.